ūüéß Escutando The Great Gig in The Sky by Pink Floyd
ūüáßūüá∑ Agora em Curitiba, PR

Privacidade por padr√£o contra o capitalismo de vigil√Ęncia

17/05/19
artigos privacidade de dados

I. Informação é poder

O modelo de neg√≥cios da maioria das empresas de internet hoje √© simplesmente baseado em combinar as prefer√™ncias do usu√°rio com an√ļncios em seus servi√ßos. Grandes empresas ‚Äúde inova√ß√£o‚ÄĚ que resumem todo seu aparato tecnol√≥gico no mais b√°sico instrumento capitalista: a publicidade.

Big data is watching you. Foto por EvStyle

Para que isso ocorra, essas corpora√ß√Ķes v√™m criando m√©todos de coleta de todos os rastros digitais deixados pelos usu√°rios. Absolutamente tudo pode ser usado: Logs da conex√£o, tamanho da tela, tipo de dispositivo, an√°lise textual de emails privados, locais onde esteve atrav√©s do do GPS e at√© os movimentos que voc√™ faz com o mouse durante a nossa navega√ß√£o.

Essa coleta tem sido feita e aperfeiçoada aliando conhecimento da área de ciência de dados, machine learning e inteligência artificial, e usada muitas vezes de forma não ética e até criminosa.

Read More >>

Leituras de 2018

29/12/18
di√°rio resenhas literatura

Esses foram os livros que me acompanharam nesse ano doloroso de 2018, em ordem cronol√≥gica de t√©rmino. Em negrito est√£o os livros que mais gostei. Gostaria de ter lido mais, mas outros projetos me tomaram o tempo, e principalmente a ‚Äúqualidade da vista‚ÄĚ.

  1. Cartas a um Jovem Cientista por Edward O. Wilson
  2. A Lição Final por Randy Pausch
  3. Rota 66 por Caco Barcellos
  4. Comer Animais por Jonathan Safran Foer
  5. Marx Estava Certo por Terry Eagleton
  6. Fluam, Minhas L√°grimas, Disse o Policial por Philip K. Dick
  7. Bravura Ind√īmita por Charles Portis
  8. A Verdade Vencer√° por Luiz In√°cio Lula da Silva
  9. No Ar Rarefeito por Jon Krakauer
  10. Olga por Fernando Morais
  11. Vidas Secas por Graciliano Ramos
  12. Belchior - Apenas Um Rapaz Latino-Americano por Jotabê Medeiros
  13. A Contadora de Filmes por Hern√°n Rivera Letelier
  14. Princípios de Economia Micro e Macro por Flavio Ribas Tebchirani
  15. O Imperador da Ursa Maior por Carlos Eduardo Novaes
  16. Economia Brasileira Contempor√Ęnea por F√°bio Giambiagi et al.

Veja a lista de outros anos na tag: Ano Em Livros

Read More >>

Uninterleaks: 90 mil documentos pessoais expostos online

04/05/18
artigos privacidade de dados

Olá, amigxs! Deixa eu contar para vocês que ainda no mês de Fevereiro deste ano me deparei com uma pequena - mas poderosa - falha em um dos sistemas do Centro Universitário Uninter, um dos maiores centros universitários do Brasil.

Captura de tela do computador, com alguns dos arquivos baixados. A maioria PDFs e JPGs. Eram mais de 90 mil arquivos, a maioria deles com mais de um documento escaneado por arquivo.

A vulnerabilidade estava em um dos portais que recebe inscri√ß√Ķes de alunos contemplados com bolsas estudantis por programas do governo, sendo, ent√£o, a ponte de acesso dos estudantes, os quais devem submeter seus documentos para serem analisados pelos funcion√°rios da faculdade.

Na lista de documentos a serem enviados à análise estão:

  • RG;
  • CPF;
  • Carteira de Trabalho;
  • Holerites;
  • Comprovantes de resid√™ncia;

entre outros.

O ruim √© que, atualmente, essa gama de documentos √© a que possibilita quase todas as rela√ß√Ķes entre o cidad√£o e outras institui√ß√Ķes.

Read More >>

Uma história de mundos virtuais e Star Trek tão boa quanto USS Callister

07/01/18
artigos literatura cinema
USS Callister. Foto: Divulgação
USS Callister. Foto: Divulgação

A quarta temporada de Black Mirror estreou mês passado e trouxe novos - e mais leves - contos trazendo verdades sobre o nosso uso da tecnologia e onde isso pode nos levar.

Assisti ao primeiro episódio, USS Callister, e não pude deixar de lembrar de uma leitura recente que fiz, o pequeno memoir A Lição Final de Randy Pausch.1

O livro em si e as circust√Ęncias de sua cria√ß√£o nos contam uma hist√≥ria t√£o boa quanto USS Callister, e com temas em comum: mundos em realidade virtual, programa√ß√£o, refer√™ncias a Star Trek e finais felizes, apesar de tudo.

Randy era professor de Ciência da Computação na Carnegie Mellon University e lá criou o Entertainment Technology Center (ETC) e inicou o projeto do software Alice, contribuindo durante a carreira com empresas como Google, EA, Walt Disney e Adobe.

Ele foi pioneiro na √°rea de realidade virtual, viajando e lecionando sobre o assunto. Achei muito legal as mat√©rias daquela √©poca. Entre outras, ele fora professor em 1990 de ‚ÄúGr√°ficos Computacionais‚ÄĚ, em 92 de ‚ÄúRealidade Virtual‚ÄĚ e em 98, na Carnegie Mellon, ministrou uma cadeira chamada ‚ÄúConstruindo mundos virtuais‚ÄĚ.2

Entre um dos seus mundos virtuais favoritos que construiu estava a sala de comando da USS Enterprise.

USS Enterprise virtual criada por Randy. Foto: Site pessoal de Randy
USS Enterprise virtual criada por Randy. Foto: Site pessoal de Randy
Randy navegando... Foto: Site pessoal de Randy
Randy navegando... Foto: Site pessoal de Randy

Em 2008, infelizmente, Randy partiu em decorrer de um c√Ęncer pancre√°tico. Esse c√Ęncer √© um dos mais fatais, onde apenas 25% dos pacientes diagnosticados sobrevivem mais de um ano e apenas 5% sobrevive mais de 5 anos.3 Randy recebeu o diagn√≥stico em Agosto de 2006, mas como cientista que era, pesquisou e conversou com todos os m√©dicos que podia para tentar uma cura, ou ao menos garantir mais tempo de vida para ficar com sua fam√≠lia.

Al√©m de um acad√™mico racional, Randy tamb√©m era, desde pequeno, um grande sonhador. Ao inv√©s de se entregar a sua doen√ßa, decidiu fazer um √ļltimo projeto ambicioso antes de partir: dar algumas palestras e escrever um livro. Queria deixar um legado, acima de tudo, para os seus filhos - no livro e na palestra falaria sobre a vida, e n√£o sobre a morte.

Um m√™s depois do diagn√≥stico deu uma palestra para um audit√≥rio lotado em sua universidade, sua ‚ÄúLast Lecture‚ÄĚ, sua li√ß√£o final. Nela, de forma energ√©tica e magistral, Randy contou um pouco mais sobre sua fam√≠lia, sobre seu trabalho e principalmente o que o movia. Ele faz um balan√ßo daquilo que ele considerava o verdadeiro medidor de ‚Äúsucesso‚ÄĚ enquanto estamos nesse mundo: realizar os seus sonhos de inf√Ęncia.

Seus sonhos de inf√Ęncia eram muito bacanas e Randy cumpriu praticamente todos eles. Sendo crian√ßa no final dos anos 60, Randy queria viajar na gravidade zero, ser o capit√£o Kirk (ele cumpriu esse conhecendo o capit√£o Kirk e sendo convidado, pelo JJ Abrams, em 2007 para uma pequena cena no filme de Star Trek), al√©m de ser um dia um Imagineer da Disney.

Sonhos de inf√Ęncia do Randy. Ele completaria praticamente todos eles. Foto: Reprodu√ß√£o da apresenta√ß√£o de Randy
Sonhos de inf√Ęncia do Randy. Ele completaria praticamente todos eles. Foto: Reprodu√ß√£o da apresenta√ß√£o de Randy
Randy Criança. Foto: Site pessoal de Randy
Randy Criança. Foto: Site pessoal de Randy

Depois que a palestra ocorreu, Randy terminou de escrever o seu livro foi lan√ßado. Simples, acess√≠vel e daqueles que d√° para ler em uma manh√£ de domingo, A Li√ß√£o Final me trouxe realmente v√°rias li√ß√Ķes sobre a vida, carreira acad√™mica, o envelhecer homem, o ser pai e at√© como ser um bom marido. O livro tem algumas quest√Ķes clich√™s e poucos pontos com um toque american way of life. Ainda assim, ver o mundo com os olhos do Randy amadureceram-me por dentro. Sendo, entre muitas, as melhores das li√ß√Ķes a de que devemos aproveitar cada momento e tamb√©m carregarmos firmes nossa crian√ßa interior em tudo que fazemos.

O livro e a palestra (disponível no YouTube) de Randy realmente são uma linda lição de um grande homem, um ótimo professor e um visionário tecnologista. Mesmo tendo partido dessa realidade espero que num futuro próximo esbarremos com Randy em qualquer mundo virtual por aí.

Livro A Lição de Final. Foto: Guilmour Rossi / guilmour.org
Livro A Lição de Final. Foto: Guilmour Rossi / guilmour.org

Nota: Só consegui ler esse livro porque ele estava disponível na biblioteca de minha universidade, UTFPR, graças a doação de Aline Rafaela de Almeida. Valeu, Aline!

  1. Randy Pausch e Jeffrey Zaslow; A Lição Final. Tradução de Laura Alves e Aurélio Rebello - Rio de Janeiro, Agir, 2008. ISBN: 978-85-2200-920-6 

  2. Currículo do Randy em seu site pessoal. Disponível em https://www.cs.cmu.edu/~pausch/Randy/Randy/Vita.html 

  3. Cancro do p√Ęncreas, Wikip√©dia. https://pt.wikipedia.org/wiki/Cancro_do_p√Ęncreas¬†

Read More >>

Recebemos um pedido de remoção por copyright no Libreflix

20/11/17
di√°rio cultura livre

Notificação Extrajudicial

Na semana passa recebemos um pedido de remo√ß√£o de conte√ļdo por ‚Äúdisponibiliza√ß√£o indevida de produto‚ÄĚ no Libreflix. :/

O ‚Äúpedido‚ÄĚ foi enviado pelo Canal Brasil, canal pago que integra os canais de tev√™ por assinatura da Globo.

A notifica√ß√£o veio por e-mail e o assunto foi ‚ÄúNotifica√ß√£o Extrajudicial‚ÄĚ e meu deu um baita gelo na espinha. Eles pediram que o Libreflix.org removesse o filme ‚ÄúSerra Pelada - A Lenda da Montanha de Ouro‚ÄĚ de Victor Lopes em at√© 48 horas.

O pior foi que o e-mail chegou na sexta-feira passada, dia 10, sendo que estou sem acesso a internet banda larga em casa.

Pra n√£o chegar nem perto de estourar o prazo fiz tudo pelo celular. Usando o 2G e o termux tive que logar no server e editar o banco de dados na m√£o pra remover a obra.

Notificação Extrajudicial recebida. Pág 1.
Notificação Extrajudicial recebida. Pág 2.

A responsabilidade é do YouTube

A obra foi enviada por um usu√°rio e disponibilizada com o uso da YouTubeIframeAPI, o que significa que a gente s√≥ incorporava a obra diretamente do YouTube, sendo eles, ent√£o, os respons√°veis por remover o conte√ļdo! Os termos de uso do YouTube s√£o claros:

4A. You agree not to distribute in any medium any part of the Service or the Content without YouTube’s prior written authorization, unless YouTube makes available the means for such distribution through functionality offered by the Service (such as the Embeddable Player).

O utiliza√ß√£o da YouTubeIframeAPI √© apenas um uso mais robusto e funciona como um ‚Äúplayer incorporado‚ÄĚ, sendo aquele que incopora apenas o replicante de um hyperlink mult√≠midia ao transmissor original do conte√ļdo.

Em uma correla√ß√£o: faria sentido o Grupo Globo enviar o pedido de remo√ß√£o de conte√ļdo para um blog que, por exemplo, incoporasse o v√≠deo em um post?

Sem cabeça para argumentar por e-mail por já estar atolado com os estudos só restou dizer adeus ao documentário, que, diga-se de passagem, é um baite filme e retrata a feroz e desumana corrida do ouro que ocorreu nos anos 80.

Ah é! A versão subida no YouTube está no ar desde 2014 e pode ser acessada aqui: https://www.youtube.com/watch?v=mSDh86t2nG0

Read More >>

Internet livre, cinema livre: Libreflix

31/10/17
pensamento cru cultura livre software livre libreflix

O cinema e eu

Criado junto com a internet e com a ajuda dos nossos amigos da baía dos piratas logo me tornei um cinéfilo de carteirinha - devorando filmes e mais filmes e lotando discos rígidos. Estava me apaixonando pela sétima arte e conhecendo o poder do audiovisual; fiz os vídeos da formatura, editei videoclipes para amigos, fiz um curta para o festival de cinema da cidade e quase entrei num curso de cinema depois que terminei o colégio.

O fato √© que a gente cresce √© o nosso gosto por entretenimento muda tamb√©m. Queremos mais, queremos pensar junto, queremos ir mais longe. A s√©tima arte que eu achava que conhecia eram apenas os mesmos filmes hollywoodianos com roteiros da jornada do her√≥i de sempre. Veio a fase de assistir s√≥ document√°rios, do cinema franc√™s, do cinema argentino e latino-americano. Por √ļltimo, comecei a apreciar os filmes punks de baixo or√ßamento e de experimentar todas as produ√ß√Ķes pra l√° de independentes que encontrasse na internet. Logo minam as certezas e o que gostamos √© jogado em um liquidificador para l√° e para c√°.

Mas, claro, o problema não mora nos diferentes sabores da arte; a variedade é inerente a sua beleza, mesmo que existam tipos dela mais difíceis de entender que o próprio conceito de cultura.

O problema, a meu ver, é sobre quem a fabrica, e, claro, sobre quem a entrega.

Read More >>


  1   2   3   4